DREAM THEATER: QUEM SERIA O SUBSTITUTO DE JAMES LABRIE?

Este é James LaBrie, vocalista do Dream Theater.

james-labrie

Sua voz é uma das marcas registradas da banda de metal progressivo, conseguindo se sobressair em meio ao virtuosismo de músicos tidos como os melhores do mundo.

Para muitos fãs, porém, é justamente LaBrie o grande problema do quinteto norte-americano. Segundo os críticos do cantor, seu estilo não se encaixa no instrumental, sem contar que ao frontman cabe, basicamente, cumprir o papel de intérprete, já que a maioria das letras é de autoria do guitarrista John Petrucci (função que era dividida com o ex-baterista Mike Portnoy). Ou seja, na opinião dos “haters”, o cara é quase um inútil.

dream-theater

A discussão vem à tona sempre que o Dream Theater solta um novo trabalho, e não foi diferente com o álbum duplo “The Astonishing”, lançado recentemente. Os defensores do vocalista cutucam: tirar o LaBrie e colocar quem no lugar?

Ano passado, durante uma conferência, o físico inglês Stephen Hawking foi questionado por uma garota sobre a saída de Zayn Malik do One Direction. Para consolo da jovem, o cientista disse que era possível que o ídolo dela ainda fosse integrante da boy band em um universo paralelo. Agora, imaginem que, nesta mesma realidade alternativa, o chefão Petrucci resolvesse dar férias vitalícias a James LaBrie. Quem seria, então, a nova voz do Dream Theater?

Num hipotético processo de seleção, eu apostaria minhas fichas em três nomes, todos com larga experiência como vocalistas-estepes.

Tim “Ripper” Owens

tim-owens

Este é o que podemos chamar de “reserva titular”. O cara já ocupou o posto de ninguém menos que o “metal god” Rob Halford no Judas Priest, depois assumiu os vocais do Iced Earth (no lugar de Matt Barlow). Outra substituição de peso e Tim Owens já pode pedir música no Fantástico.

Thiago Bianchi

thiago-bianchi

Por ser um rosto menos conhecido, talvez os gringos se perguntem: quanto tempo esse cara passa na frente do espelho se penteando? Ainda que correndo por fora, Bianchi entraria na disputa pela cota reservada a brasileiros. Foi assim com Aquiles Priester, quando Mike Portnoy largou as baquetas do DT para depois tocar metal emo com o Avenged Sevenfold. Vale lembrar que André Matos, antecessor de Bianchi no Shaman, também pleiteou a vaga deixada por Bruce Dickinson no Iron Maiden nos idos da década de 1990 – posto assumido pelo candidato a seguir.

Blaze Bayley

blaze

O ex-Wolfsbane seria carta marcada de Steve Harris para substituir Bruce como voz da Donzela – escolha que se mostrou um pouquinho equivocada. Por isso mesmo, Blaze seria uma indicação do próprio LaBrie para substituí-lo no Dream Theater. Consequentemente, após a banda lançar alguns trabalhos malsucedidos, Petrucci não teria outra opção a não ser chamar o antigo vocalista de volta – que, a essa altura, teria feito as pazes com Portnoy e colocaria como condição para seu retorno a readmissão do ex-batera. Assim, pela primeira vez, o DT contaria com dois bateristas na formação.

E você, tem alguma indicação? Deixaria tudo como está? Zayn Malik seria uma boa para o Dream Theater? Ou a banda deveria se tornar apenas instrumental e fazer post-rock? Deixe seu comentário.

Anúncios

O ROCK NACIONAL ESTÁ MORTO E TODOS VIRARAM CERVEJEIROS

IMG_1325
Garrafas e latinhas agora disputam o mesmo espaço que os discos nas lojas da Galeria do Rock, em São Paulo.

Se os shows da Legião Urbana com Wagner Moura e a “ressurreição” holográfica de Cazuza pareciam a pá de cal na cova do que convencionamos chamar de rock brasileiro, o que mais poderia acontecer de ruim? Certamente, algo muito pior… Continuar lendo